Publicado em 14/11/2017 às 15h40 | |

Cadeirante de Camaçari relata as dificuldades enfrentadas no município

Atualmente 68 cadeirantes são cadastrados na UDEC

 

Sem movimento da cintura pra baixo, após um acidente de moto, Elenilson de Jesus Santos, de 34 anos, morador de Camaçari relata as dificuldades de mobilidade enfrentadas pelos cadeirantes no munícipio. Ele é presidente da UDEC (União dos Deficientes de Camaçari).

“Infelizmente a gente enfrenta muitas dificuldades, em ambas as partes, tanto na saída de casa, quanto na volta também. Desde o transporte público, como na mobilidade urbana. No século que estamos hoje, ainda temos que parar para discutir e debater o que enfrentamos diariamente por sermos cadeirantes, não só no município como no Brasil todo”, desabafa.

Para Santos, o primeiro apoio deve ser o da família, em segundo o do poder público facilitando a vida dos deficientes em geral. “O maior desafio é seguir em frente. Na UDEC venho lutando por toda uma categoria, não apenas de cadeirantes, mas toda pessoa que tem uma deficiência em Camaçari”.

Para a garantia de direitos e concretização de mais conquistas o presidente defende parcerias. “Acho que falta uma união maior entre as entidades, entre as associações de surdos e mudos, por exemplo. Só assim a inclusão será uma realidade em nossa cidade. Falta comunicação para gente se alinhar. Juntos somos mais fortes”.

Atualmente 68 cadeirantes são cadastrados na UDEC e da atual legislatura, apenas o vereador Gilvan tem apoiado efetivamente os eventos da entidade.

Tags

sem tags

Comentários

ATENÇÃO !

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Mais de Noticias