03/12/2018 às 12h02 |

O desafio de conviver em grupo

 

Eu e uma amiga estávamos conversando sobre a difícil arte de se conviver em grupo. Como já dizia Friedrich Nietzsche: “É difícil viver com as pessoas porque calar é muito difícil”.

O quanto é difícil e complicado essa convivência, seja com colegas de trabalho, com a família ou no convívio social, pois estamos sempre em grupo. As situações que nos deparamos, as dificuldades, os problemas em casa, nos acompanham diariamente. 

Essas experiências seriam mais tranquilas se soubéssemos lidar com elas de forma mais objetiva, buscando entender as diversas reações de cada um. A todo instante temos que lidar com algo novo e com pessoas tão diferentes de nós. Tive varias experiências com grupos bem diversificados, uns foram mais fácil outros mais difíceis de lidar, mas com cada um aprendi muito, porque me fizeram olhar para mim mesma e dizer que a mudança começa em você.

Então busquei entender o outro, antes de qualquer atitude. Comecei a ver que essa convivência requer generosidade, paciência, autocontrole, humildade e saber o momento exato de começar e parar uma discussão. Mesmo em uma conversa você discorde do assunto, o melhor a fazer é esperar o outro terminar de falar para expor o seu ponto de vista sem demonstrar que sabe mais do que  a outra pessoa ou que você é quem está certa (o). Ter cuidado com a outra pessoa também faz parte.

Conviver em grupo é muito mais do que saber lidar com as diversidades do dia a dia, é sorrir, é chorar, é dar e receber, é dar e não receber, é amar, é não ser amado, é querer e não ser querido, e atender e muitas vezes não ser atendido, é dizer algo e não ser compreendido,  é dar seu ombro amigo para que conforte e amenize a dor do outro, é ser alegre, feliz sem querer ser mais que o outro.

Conviver em grupo é uma conquista diária, é um tolerar o outro, é dizer o que pensa, ser sincero, amável, é dar a sua opinião e respeitar a do outro, é saber quando chegar e quando sair, é ser você independentemente do que outro ache ou goste. Conviver, viver em grupo é o que ouvimos desde criança dos nossos pais e avós que nosso direito termina onde começa o do outro. Eu travo uma luta constante com a convivência em grupo. É uma luta com o ego, a tolerância, a simplicidade, o orgulho. É preciso paciência, tolerância e muita gentileza nessa difícil arte de conviver.

Como diz a Filósofa, Educadora, Pesquisadora, Escritora e Palestrante. Ph. D. em Filosofia, Dulce Magalhães, "cada um é único que todos são imprescindíveis. Se fôssemos frutos de uma linha de produção, com personalidades, feições, gostos e crenças em série, seríamos descartáveis, pois haveria sempre alguém para nos substituir. Esse conjunto raro desta premissa e sua aplicação. Enxergar em cada ser humano um indivíduo único e especial nos faz aceitar sua condição de um modo especialmente acolhedor". Conviver em grupo ensina, acima de tudo, o respeito e o cuidado com o outro, a dividir espaços e a compreender diferentes personalidades.
 

 

 

Comentários

ATENÇÃO !

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Mais de Opinião